ePharma PBM do Brasil

CONSUMO DE MEDICAMENTOS CONTRA DEPRESSÃO AUMENTA 5,7% NO BRASIL

Dados da ePharma referem-se a prescrições de planos de saúde empresariais

O volume de remédios para o tratamento de depressão, prescritos por planos de saúde empresariais, cresceu 5,7% nos últimos dois anos. É o que aponta um estudo da ePharma, empresa líder no gerenciamento de planos de benefícios de medicamentos (PBM). De acordo com a pesquisa, 97.677 unidades foram comercializadas entre abril de 2019 e março de 2020 contra 92.408 vendidas no mesmo período anterior.

O estudo também indica uma tendência de alta nos medicamentos para o tratamento de doenças que afetam o sistema nervoso. No período, a categoria avançou 1,25%, de 244.108 para 247.179. No Brasil, 5,8% da população sofre de depressão, taxa acima da média global, que é de 4,4%, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para Luiz Carlos Monteiro, presidente da ePharma, o aumento reforça a importância de se consolidar planos com cobertura medicamentosa no país. “Os PBMs acabam sendo um investimento para empresas, pois, ao garantirem o acesso a remédios para os colaboradores, diminuem o absenteísmo”, explica.

Ainda de acordo com os dados, cinco remédios da lista representam 24,5% dos medicamentos prescritos. São eles: cloridrato de sertralina (13.582 unidades), cloridrato de fluoxitina (9.975), oxalato de escitalopram (9.634), cloridrato de amitriptilina (7.430) e cloridrato de paroxitina (6.057).